Carregando...

3 Passos Para Fazer Reserva de Emergência

Anúncios

Emergência é uma palavra normalmente associada a fatos, ocorrências em nossa vida, que dificilmente trarão um significado positivo.

E, infelizmente, entre as muitas certezas que temos, é que todos nós, em algum momento, teremos alguma emergência. Sendo assim fica a dica de 3 Passos para conseguir uma Reserva de Emergência.

Uma ocorrência no âmbito familiar, uma dificuldade em sua economia pessoal, uma fatalidade no trabalho, podem acontecer.

Anúncios

Qualquer eventualidade dessas, pode deixar uma pessoa despreparada, em situação ruim.

Uma das formas mais frequentes de emergência, muitas vezes associada à crises que o país enfrenta, está relacionada ao dinheiro, ou, à falta dele.

Como forma de se prevenir a esses imprevistos ou fatalidades, qualquer pessoa pode criar uma Reserva de Emergência.

O que é Reserva de Emergência

A Reserva de Emergência (ou Fundo de Emergência, como é costumeiramente chamado) é uma quantia guardada para possíveis eventualidades;

Como: enfermidades graves na família, demissões repentinas no trabalho ou talvez até a chegada inesperada de um filho.

Anúncios

Essa reserva de dinheiro pode ser gerada através de ações de economia pessoal.

Deve ser entendida como um valor necessário, que ajudará na superação de períodos complicados, ocasionados por esses acontecimentos inesperados.

Estima-se que 70% da população brasileira não tenha guardado qualquer valor em dinheiro para constituir uma Reserva de Emergência.

Isso significa, sem qualquer dúvida, que a economia pessoal da grande maioria dessas pessoas será abalada numa eventualidade dessa natureza.

A importância de uma Reserva de Emergência

Não é por acaso que a maioria da nossa população não tem uma Reserva de Emergência. Isso é um problema de cultura.

Nossa população vive dentro do que chamamos de “imediatismo”, ou seja, gasta-se tudo agora sem se preocupar com os gastos do futuro.

Dentre as razões mais comuns, que levam as pessoas a sofrerem as consequências do imediatismo;

Estão as dívidas e financiamentos contraídos para adquirir bens materiais como celulares de última geração ou carros do ano, por exemplo.

Na prática, sem uma Reserva de Emergência, uma pessoa que tenha uma renda mensal de R$ 3 mil e perde o emprego, terá sua renda reduzida.

Se houver um financiamento, ela certamente terá que contrair um empréstimo, aumentando ainda mais as dívidas e piorando a sua situação.

Como criar uma Reserva de Emergência em 3 passos

Ter uma Reserva de Emergência, é essencial para qualquer pessoa, esteja ela empregada ou não.

A preparação e o planejamento da economia pessoal ajuda a manter o equilíbrio da vida financeira.

Como forma de começar a agir, antes mesmo dos problemas acontecerem (pois eles acontecerão, uma hora ou outra) deve-se fazer uma verdadeira revolução na forma de gerir os ganhos e gastos.

A receita é simples, mas nem sempre fácil, portanto, esteja atento aos 3 passos que sugerimos para ajudar qualquer pessoa a criar uma Reserva de Emergência efetiva;

Permitindo maior tranquilidade para superar os obstáculos e desafios que a vida apresentar.

1. Estude sobre o assunto ou busque ajuda profissional

Há duas formas bastante efetivas de se criar uma Reserva de Emergência. A primeira delas é a pessoa buscar informações e tornar-se conhecedora em como fazê-lo.

Essa é a maneira mais barata, uma vez que não terá que pagar nenhuma taxa.

Porém, hoje em dia se diz que “tempo é dinheiro”. Para algumas pessoas, a possibilidade de dedicar qualquer tempo para estudar sobre esse assunto é algo improvável.

Nesse caso, pode partir então para a segunda opção: contratar ajuda profissional.

Assim, a pessoa que deseja criar a sua Reserva de Emergência pode então contratar um consultor financeiro (que orientará, por exemplo, qual o melhor fundo para a reserva) ou mesmo usar uma corretora especializada em aplicações.

2. Aplique bem o seu dinheiro

Quando se trata de economia e de fazer render o dinheiro, é inevitável que pensemos na tradicional “caderneta de poupança”.

Sim, essa é uma forma de fazer o dinheiro render, porém, é uma das aplicações que menos rende.

Profissionais do segmento financeiro orientam que, uma Reserva de Emergência sólida, é aquela com valor equivalente entre 6 a 12 meses da despesa mensal de uma pessoa.

Sabemos que isso não é fácil acumular, por isso é tão importante que o dinheiro renda o máximo possível.

Algumas formas de aplicação, além da poupança, podem ser encontradas hoje;

Tais como: Tesouro Selic, CDB com liquidez diária, Fundos de Renda Fixa, LCI e LCA com liquidez diária ou Fundos DI.

3. Não gaste, sem necessidade, a Reserva de Emergência

Já entendemos aqui como é necessário criar uma Reserva de Emergência, portanto, esse terceiro passo talvez seja o mais difícil de executar para a maioria das pessoas.

Entender “o quando” usar esse dinheiro fará toda a diferença para conquistar a sua economia pessoal.

Um chuveiro queimado, o motor do carro com problemas ou mesmo algo que se precise no momento.

Tudo deve ser analisado com critério, pois há uma tendência muito grande por parte do ser humano em não saber diferenciar o importante do urgente.

O conceito de “emergência” se aplica para imprevistos que conduzem a situações extremas, onde nenhuma outra opção para se conseguir o valor seja possível.

E, se for esse o caso, ter uma Reserva de Emergência será, com certeza, uma das melhores coisas já feitas.